Não Reclame das Sombras Faça Luz . (Chico Xavier)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

“ NÃO HÁ PONTO FINAL PARA O AMOR, AMOR É VIDA E VIDA É ETERNIDADE !.” André Luiz

.

André Luiz

"Amar não é desejar. É compreender sempre, dar de si mesmo, renunciar aos próprios caprichos e sacrificar-se para que a luz divina do verdadeiro amor resplandeça".
Este é um Site Ecumênico Buscando Unicamente Promover o Bem Universal, que promovem o amor cristão , desejo maior do Grande Mestre Jesus . Sejam bem vindos !

Seguidores

sábado, 16 de outubro de 2010

Eu, o menino e o cachorro...


E eu só reclamava da vida... reclamava da noite porque eu não dormia, reclamava do dia porque eu sofria, reclamava do frio que me gelava a alma, reclamava do calor que me atirava ao desânimo. Para tudo e para todos eu tinha uma resposta, para a minha derrota eu sempre tinha um culpado, para o meu desamor sempre tinha um "alguém", para tudo uma reclamação, eu era o próprio azedume.

Ai de quem me criticasse, que apontasse o erro que eu não enxergava, para tudo tinha que haver um culpado,
eu era a vítima do sistema, das pessoas, do mundo, eu sempre fui traído, enganado, sofrido... Carregava aquela cruz pesada de ódio, e eu só reclamava da vida, seja de noite, seja de dia. Até quem dia, um menino, desses meninos de rua, me pediu uma ajuda, e eu já estava pronto para ofendê-lo, quando ele pegou na minha mão e arrastou-me, se é que um menino tão pequeno teria essa força.

No canto da rua ele me mostrou um cachorro muito sujo, que estava com a pata como que quebrada e cheio de feridas. O menino puxou a minha mão e fez chegar perto do cachorro. Ele olhava pra mim e depois para o cachorro,
e falou numa voz que eu não consigo esquecer:
- Moço, sara ele pra mim! é o meu melhor amigo.

Não sei porque e nem quero saber, mas eu não aguentei e chorei... Chorei como criança, como quem abre uma torneira, como se uma porta que estava fechada há muito tempo dentro de mim, se abrisse escancaradamente... O menino não entendeu o meu choro e perguntou:

- Ele vai morrer moço? è grave assim...

Despertei do meu choro e agarrei aquele cachorro com muito cuidado. Levei-o até a minha casa, poucos quarteirões dali, e tratei daquele cachorro como se fosse um filho, e o menino, que vivia pelas ruas, foi ficando, e cuidou de mim, curou minhas feridas, antes mesmo de eu curar as feridas do cachorro.

Hoje, não reclamo mais de nada, tudo para mim tem um sentido, tudo é perfeito, até o que dá errado. Faz 16 anos que o menino de rua pegou na minha mão, mudou a minha vida, transformou esse ser. Mostrou-me o caminho do amor, amor que restaura, cura, seca feridas, renova, traz esperança, e esperança é o nome do amor.

E esse menino, que hoje me chama de pai, destranca portas e janelas da minha alma todos os dias, quando segura na minha mão e me agradece por cada coisa tão pequena, os banhos, as roupas, a comida, a escola, a adoção, coisas que muita gente tem e não dá nenhum valor, ele me recompensa com carinho e dedicação.

Hoje é a sua formatura, e eu nem sei o que dizer, sou grato a Deus por ele entrar na minha vida, por quebrantar meu coração, e não largar mais a minha mão.

Hoje eu bendigo a vida. Valorize a sua vida, preencha-a com o amor.

Autor desconhecido

Um comentário:

  1. Olá bom dia Suely!
    Que mensagens lindas, estou encantada.
    Seguindo-te, será um prazer imenso tê´la aqui como amiga blogueira, eu adoro blogar.
    Seja bem vinda ao meu coração amada, e que Deus lhe cubra de coisas boas.
    Beijos
    Eu! Leilinha

    ResponderExcluir